14 novembro 2013

Coração Faminto

E passaram-se 5 anos desde o meu ingresso na faculdade. Lembro-me da primeira aula de fundamentos de Economia. O professor Gustav dizia que tudo na Economia se tratava de custos de oportunidade. Após isso, mostrava exemplos, como o do Mick Jagger, estudante de economia, mas que por entender quais eram os custos de oportunidade em seguir seus estudos e a carreira de música fez uma escolha. Hoje sabemos que muito provavelmente ele fez a escolha certa... Mas levando em conta o mesmo princípio de analisar custos de oportunidade, na nossa vida, será que sabemos quais os custos de oportunidade que envolvem nossas escolhas? Sabemos o que queremos do futuro? Apesar dessas perguntas serem comuns em livros de auto-ajuda, acredito que a resposta não seja tão simples.

O tempo passa para mim e acredito que nem todas perguntas estejam diferentes. Será que crescer realmente é algo fácil ou simples como a maioria das pessoas demonstra ou tenta fazer parecer? As escolhas que fazemos no passado nos moldam no presente. Claro, a análise não é uma equação como Escolhas do passado + Externalidades = Nosso Presente. Mas com certeza, o passado é determinante. Algumas coisas que eu fiz eu tenho muito orgulho. Sempre vou ter boas lembranças daquelas pessoas que aprendi, convivi e ri bastante. Nem tudo é um mar de rosas, claro. Mas é dessa felicidade que eu remeto sempre quando vasculho a minha memória.

Hoje eu diria que nossos sonhos são o motor das nossas escolhas. Eles que moldam a nossa paciência, nossa vontade e nossas virtudes. Dificilmente vamos achar uma pessoa que foi influente na sociedade durante a evolução histórica, sem que consigamos achar ao menos um elo com algum sonho. Martin Luther King, Gandhi ou Paul Krugman são exemplos fáceis para se inferir os seus possíveis sonhos. Não creio que seja possível vivermos, ainda mais na sociedade tão sem esperança, sem sonharmos com algo.

Em uma conversa, certa vez me indagaram a seguinte questão: se eu pudesse ter um pedido realizado, qual seria ele? Minha resposta foi que gostaria que existisse a paz entre os povos. Naquela época, o sentido da paz para minha pessoa era diferente, mas isso fica pra outra conversa... Mas por que existe a guerra? Ou os conflitos? Não vou construir uma idéia muito complexa, mas vamos partir do princípio em que um país em guerra, temos o dilema entre escolhas. Dois países exercem escolhas que se confrontam, assim gerando um conflito. Agora, uma reflexão é: será que todos nós fazemos nossas escolhas? Não, não estou dizendo para sairmos brigando com o vizinho! lol Apenas penso que muitos problemas da sociedade passam pela falta de escolhas. O próprio exemplo que eu citei. Se dois países estão se opondo, será que não existem uma alternativa para que seus objetivos sejam alcançados de outra forma? Meio teoria dos jogos, ótimo de pareto mesmo.
        
      "Vivemos um mundo de opulência sem precedentes, mas também de privação e opressão extraordinárias. O desenvolvimento consiste na eliminação de privações de liberdade que limitam as escolhas e as oportunidades das pessoas de exercer ponderadamente sua condição de cidadão" Amartya Sem

Os conceitos não são fáceis e o nosso dia-a-dia tem uma variável muito complexa chamada emoção... É uma arte lidar com essa variável que pode ser qualquer coisa... Mas e os nossos sonhos? Segundo um verso famoso de Ullysses, é o nosso coração faminto que nos leva a viajar, conhecer e viver. Nunca isso fez tanto sentido quanto agora. Quando o Bruce Springsteen conheceu o Joey Ramone, o Joey pediu ao Bruce que ele fizesse uma música para os Ramones. O Bruce já tinha composto sucessos para outros artistas. Então ele o fez também. Compôs uma música para os Ramones. Porém, ao analisar a música, seu produtor disse ao Bruce que ele deveria ficar com essa música, porque ele sempre fazia algo muito bom quando estava compondo para os outros. E dessa vez, Bruce resolveu seu dilema, optando por ficar com a canção. Temos um ótimo de pareto: os Ramones não ficaram piores por não ter essa música e o Bruce Springsteen gravou uma bela música. Que busquemos sempre o alimento para o nosso coração e nossa alma.

Espero todos na minha festa para comemorarmos mais essa etapa da vida vencida! ^_^



Hungry Heart - Bruce Springsteen

Got a wife and kids in Baltimore, Jack
I went out for a ride and I never went back
Like a river that don't know where it's flowing
I took a wrong turn and I just kept going

Everybody's got a hungry heart
Everybody's got a hungry heart
Lay down your money and you play your part
Everybody's got a hungry heart

I met her in a Kingstown bar
We fell in love I knew it had to end
We took what we had and we ripped it apart
Now here I am down in Kingstone again

Everybody needs a place to rest
Everybody wants to have a home
Don't make no difference what nobody says
Ain't nobody like to be alone

20 maio 2013

Escassez de paciencia

Mesmo nos meus momentos de inspiração, anda faltando o que sobrava nos sábios antigos... Não me sentia tão cansado e de saco cheio de tudo que me cerca fazia tempo... 

Acredito que a fase da vida que me insiro é naquela de superação, onde tudo que tem que ser feito te exige um monte... E um monte do que não ando tendo...
Mas como a vida não é feita só de tristezas, acredito que após o meio do ano e/ou final do ano as coisas ficarão mais tranquilas.

Deixe-me explicar: atualmente estou perto de me formar. Cinco anos de estudos, de desafios, de tudo que envolve uma graduação... Toda expectativa que isso gera, as oportunidades que isso oferece e, perto do fim, o que isso custa. O TCC é um dos maiores pesos... Posso estar exagerando, de repente, até porque meu problema não é o TCC... ou ao menos, não só ele. Até ando tendo um bom desempenho nele, mas... os custos para isso são grandes. Não ando mais saindo o suficiente para me distrair um pouco e aliviar todas as cobranças que eu me faço em cima de tudo isso... Por consequência, ando com menos habilidade ao lidar com coisas que nunca tive problema...
Meu namoro só existe ainda porque bem, minha namorada e eu escolhemos bem a quem aguentar! lol

Outro ponto é o profissional: estou tendo uma das melhores oportunidades da minha vida... Mas eis que para no fim do ano eu ter a efetivação, eu necessito um pouco mais de esforço do que tenho demonstrado... Eu sei que posso, sei disso mas... Falta algo ainda...

Somado a esses fatores, a distância que acabo por manter de pessoas que são importantes pra mim acabam afetando... 
Eis um ponto: eu me cobro demais... Mas às vezes acho que as pessoas acabam levando tudo numa "boa" demais... Em suma, acho que algumas pessoas são meio relapsas no que tangem a se interessar em saber, ao menos, como tu estás... A minha rotina é o melhor exemplo do que acontece em certas épocas da vida com tempo e tudo mais mas... Um "E aí, como vai?" não cai pedaço...
Sei que algumas pessoas ao ler isso que acabo de dizer vão se perguntar: "Mas e tu, seu Tremere, faz isso?"
Minha resposta: eu ao menos tento. Tento dar o meu melhor no que eu faço... Se é o suficiente, daí é outra discussão...


Bueno. Andei ouvindo algumas coisas velhas de novo. Gostaria de conhecer algumas músicas novas, bandas legais mas... Isso demanda tempo... E paciência... Cadê? lol
Mas aquilo que falam pra alguns jogadores de futebol, sobre a sua habilidade no esporte tanger ao sobrenatural também se aplica na música. Cada vez que eu ouço o Stevie Ray Vaughan ou a Elis Regina, me dá a impressão de que eles não morreram, mas só voltaram ao planeta ET de onde vieram...
Não entendo como algumas pessoas "passam lotado" por criaturas com tanto talento, sem ao menos reconhecer o quão diferente elas foram em vida e em suas profissões... Isso se aplica pra tanta coisa na vida...
O fato é que eu acho que fazem faltas mais artistas de verdade, menos comerciais e mais preocupados com a sua arte e expressão... 
Mas se tiverem idéias do que ouvir, mandem as dicas que eu ouvirei!

E sim, Facebook é só encheção de saco: façam um blog que é menos popular, mais indie e só vai encher o saco de quem quer ser enchido pelas bobagens que tu tem a postar! \o/


Vou finalizar a postagem pra começar 2013 pro blog e espero voltar aqui pra postar boas novas... 
Afinal, dizem que a alegria existe e é atrás dela que deveríamos estar correndo... Ainda bem que a estrada certa gosta de mim! =D



Casa no campo - Elis Regina

Eu quero uma casa no campo
Onde eu possa compor muitos rocks rurais
E tenha somente a certeza
Dos amigos do peito e nada mais
Onde eu possa ficar no tamanho da paz
E tenha somente a certeza
Dos limites do corpo e nada mais




Eu quero carneiros e cabras
Pastando solenes no meu jardim
Eu quero o silêncio das línguas cansadas
Eu quero a esperança de óculos
E meu filho de cuca legal
Eu quero plantar e colher com a mão
A pimenta e o sal




Eu quero uma casa no campo
Do tamanho ideal, pau-a-pique e sapé
Onde eu possa plantar meus amigos
Meus discos e livros e nada mais
Meus discos, meus livros e nada mais
Onde eu possa plantar meus amigos
Meus discos e livros e nada mais